A Artroscopia

Definição

A artroscopia é uma técnica revolucionária na medicina, tanto que hoje em dia virou quase um sinônimo de cirurgia do ombro. Apesar do nome complicado, o seu significado é bem simples e deriva do grego Arthro (articulação) e Skopien (olhar para). Portanto é uma técnica que possibilitou visualizar o interior da articulação sem a necessidade de sua exposição.

Como é feita?

Nada de cirurgia a laser, computadores de ultima geração ou robôs complexos. Para realização de uma artroscopia é necessário somente uma câmera de vídeo e um monitor para obter as imagens de dentro da articulação. Avanços tecnológicos proporcionaram materiais extremamente especializados para obtenção de uma imagem de qualidade.

O acesso para introduzir a câmera e os outros instrumentos cirúrgicos é feito por pequenas incisões na pele, chamadas “portais”. Normalmente são necessários 3 ou 4 portais para visualização e execução do procedimento cirúrgico. É necessária a infusão de soro fisiológico dentro da articulação, pois o líquido expande as estruturas, o que possibilita sua melhor visualização.

Uma vez visualizada a articulação, o cirurgião tem a capacidade de avaliar a integridade de todas as suas estruturas. Assim, a artroscopia possibilita ao médico realizar diagnósticos mais precisos em comparação aos exames de imagem considerados mais modernos, como a ressonância magnética de alta definição.

Após o diagnóstico, o cirurgião realiza o reparo das lesões encontradas através do uso de materiais específicos para cada doença e situação.

Vantagens

São inúmeras as vantagens que a artroscopia apresenta em relação à cirurgia convencional. Podemos destacar:

  • Possibilidade de menores incisões e menor agressão cirúrgica, possibilitando uma recuperação menos dolorosa e cicatrizes mais estéticas;
  • Menor taxa de sangramento e, portanto, menor risco de complicações anestésicas;
  • É considerado o melhor exame para diagnóstico das lesões intra-articulares;
  • Possibilidade de tratamento de múltiplas lesões no mesmo tempo cirúrgico, utilizando a mesma via, ou seja, sem necessidade de mais cicatrizes.

 Precauções

Apesar de ser uma técnica bem estabelecida na ortopedia, a artroscopia exige alto grau de treinamento do cirurgião ortopédico para obter a habilidade necessária a um resultado cirúrgico satisfatório.

Antes de ser submetido a uma artroscopia, verifique se o cirurgião tem treinamento adequado, onde fez este treinamento, se frequentou cursos de atualização e se faz parte de sociedades médicas de especialistas na área. Lembre-se que mesmo com os melhores equipamentos disponíveis, o cirurgião é a peça mais importante na execução do procedimento.

Na artroscopia, o cuidado pré-operatorio é fundamental. A avaliação do risco de sangramento intra-operatorio, mesmo que pequeno, é mandatório, visto que a qualidade da imagem depende diretamente disso. Essa avaliação é feita pelo cirurgião ortopédico em conjunto com seu clinico geral ou cardiologista.

Da mesma forma, uma equipe de anestesistas habituadaos ao procedimento é fundamental para a execução da cirurgia tranquila e para seu conforto no período pós-operatório.

 Aplicações

A artroscopia tem aplicação em praticamente todas as áreas da ortopedia. Técnicas artroscópicas estão sendo recentemente aprimoradas para o tornozelo, punho, cotovelo, quadril e coluna. No entanto, tem sua aplicação principal nas cirurgias de ombro e joelho.

Em relação ao ombro, a artroscopia tem vasta aplicação. Podemos citar:

  • Lesões proporcionadas pela síndrome do impacto do ombro (bursite do ombro, tendinopatia e rupturas do manguito rotador);
  • Artrose acrômio-clavicular;
  • Luxação do ombro (reparo de lesão de Bankart na instabilidade gleno umeral);
  • Reparo de lesões do tendão do bíceps braquial;
  • Reparo de lesões tipo SLAP;
  • Desbridamento de lesões degenerativas do ombro;
  • Tratamento da capsulite adesiva (liberação da cápsula do ombro);
  • Retirada de calcificações em tendão (tratamento da tendinite calcária);
  • Tratamento de lesões da cartilagem (desbridamento ou retirada de corpos livres intra-articulares);
  • Tratamento de tumores intra-articulares;
  • Tratamento de infecções intra-articulares (pioartrite);
  • Auxílio na colocação de dispositivos para reparo de luxações da clavícula;

Para a cirurgia de joelho podemos citar:

  • Reparo de lesões do ligamento cruzado anterior (LCA);
  • Reparo de lesões do ligamento cruzado posterior (LCP);
  • Reparo ou desbridamento de lesões dos meniscos;
  • Desbridamento de lesões de cartilagem;
  • Tratamento de lesões da cartilagem da patela;
  • Tratamento de infecções intraarticulares (pioartrite);
  • Tratamento de tumores intra-articulares;
  • Auxílio em tratamento de fraturas do planalto tibial, ou côndilos femurais;
  • Retirada de corpos livres intra-aticulares;

 

 

LEIA TAMBÉM
5 - A Reabilitação1- dores osteomusculares