Cuidados pós-operatórios

O principal objetivo a ser alcançado na recuperação de um procedimento cirúrgico pode ser definido em uma palavra: conforto. Algumas medidas simples podem fazer a diferença para uma recuperação sem turbulências. Estes são os principais passos:

Ambiente hospitalar

A grande maioria das cirurgias ortopédicas necessita de um período que varia de 24 a 48 horas de hospitalização. Durante sua estadia, serão administrados antibióticos para evitar infecção pós-operatória, analgésicos endovenosos e medicações para diminuir sintomas decorrentes da anestesia, como anti-eméticos para enjoos e protetores gástricos para azia e queimações.

Habitualmente a alta ocorre no dia seguinte à cirurgia. No momento da alta é importante seguir as orientações para que o repouso em casa transcorra com a maior tranquilidade possível.

Imobilizações

Cirurgias de membros inferiores necessitam de um par de muletas para proteção à carga. Antes da alta hospitalar, gosto de verificar na prática o uso correto da muleta, que será demonstrado por mim. Dessa maneira o paciente tem uma confiança muito maior para se locomover em casa.

Cirurgias de membro superiores necessitam de tipóia. Esta deverá ser providenciada antes da cirurgia e levada ao centro cirúrgico. Ela é colocada assim que termina o procedimento e deve ser usada de acordo com o protocolo específico de cada tipo de cirurgia.

Para cirurgias do ombro, NÃO realizar movimentos do ombro. Movimentação do punho, mão e dedos estão liberadas, desde que mantendo na tipóia. Realizar movimentos leves com o cotovelo (esticar e dobrar), sem mover o ombro (mantendo o braço junto ao corpo) duas vezes por dia

A tipóia pode ser retirada para troca de roupa, recolocando-a logo após. Não abrir o ombro para vestir camisa. Para facilitar, coloque a manga primeiramente pelo ombro operado.

Para cirurgias de cotovelo, a tipóia deve ser usada todo o tempo e o punho pode ser mobilizado.

Medicações para dor

Antes de dar alta, oriento meus pacientes o uso correto de cada medicação. Para a analgesia oriento uma combinação de anti-inflamatórios, analgésicos comuns e analgésicos derivados de opióides. O uso destas medicações e sua combinação é individualizado para cada caso.

O uso dos anti-inflamatórios no período imediato à cirurgia proporciona um ótimo conforto, porém devido aos seus efeitos colaterais, deve ser usado com parcimônia. Um dos efeitos colaterais mais comuns é a gastrite, e, em pacientes com esse histórico, a associação de um protetor gástrico ajuda muito a controlar os sintomas. O Anti-inflamatório pode interferir no controle de doenças como diabetes, hipertensão e cardiopatia; seu uso nestes casos deve ser avaliado caso a caso de acordo com a gravidade e controle destas doenças.

Já os analgésicos comuns não apresentam tantos efeitos colaterais e seu uso é rotineiro. Mas lembre-se, qualquer alergia prévia deve ser informada para evitar reações adversas.

Os analgésicos derivados de opióides tem uma maior potência, mas não devem ser usados indiscriminadamente. Normalmente não deixo o uso de horário, reservo o uso para situações para aliviar dores resistentes. Existem alguns efeitos colaterais como constipação, enjoo e mal-estar.

Gelo e suas propriedades

Muitas pessoas não tem idéia de que existe uma solução simples e muito efetiva para diminuir a dor e a inflamação da região operada. Por mais simples que sua aplicação possa parecer, alguns cuidados devem ser tomados para seu uso adequado.

O gelo não deve ser aplicado diretamente sobre a pele. Se você não dispuser de uma compressa específica, use um pano de prato para proteger a pele, assim evitando queimaduras.

O tempo adequado de aplicação é de 30 minutos. Os primeiros 10 minutos são responsáveis pelo resfriamento, os próximos 10 minutos proporcionam uma boa analgesia da região, mas os últimos 10 minutos é que tem a propriedade anti-inflamatória, responsável pelo maior conforto. Não é adequado usar por mais de 30 minutos, pois isto também aumenta o risco de lesões de pele.

Não existe um limite de frequência, mas é necessário um intervalo de 3 horas entre uma aplicação e outra para diminuir o risco de lesões de pele.

Curativos

Dependendo do tipo de cirurgia, a troca de curativo deve ser feita desde os primeiros dias de pós-operatório. Gosto de orientar o paciente e cuidador sobre a melhor maneira de cuidar da ferida. Alguns curativos são impermeáveis e não necessitam de troca até o retorno no consultório.

Os pontos deverão ser retirados entre 7 a 15 dias, dependendo do tipo e extensão da cirurgia apenas no consultório médico.

Higiene, locomoção e sono

Não faça força para elevar ou carregue peso com o braço operado. Sempre que for andar, use a tipóia. Você pode retirar a tipóia por alguns instantes, mas faça isso sentado, com o membro apoiado no corpo, sem deixar o braço pender.

Durante o banho, deve-se cobrir o curativo com filme plástico até a retirada dos pontos. Após a retirada dos pontos, lavar com água e sabonete neutro e secar bem. Se estiver usando a tipóia, retirar antes do banho e substituir por outro suporte (faixa, lenço, pano, cinto,…) mantendo o braço na posição que estava com a tipóia; logo após se secar, volte a usar a tipóia. Para realizar a higiene da axila, incline o corpo para frente com o braço solto sem aperta-lo contra o corpo. O braço se afastará do corpo ficando a axila livre para sua higienização.

Durma com a barriga virada para cima, com travesseiros colocados nas costas e atrás do ombro operado ficando um pouco inclinado para frente (posição semi-sentada). Não durma sobre o ombro operado.

LEIA TAMBÉM
3 - Planejando sua cirurgia5 - A Reabilitação