Planejando sua cirurgia

Uma das vantagens de ser submetido a uma cirurgia eletiva é a possibilidade de escolher o melhor momento em sua vida pessoal para realiza-la. Da mesma forma, é possível preparar seu organismo para passar pelo procedimento em questão.

Neste sentido, são necessárias algumas precauções. São elas:

Doenças crônicas

O controle adequado das doenças crônicas é fundamental para que a anestesia e a cirurgia ocorram de uma forma tranquila. Para isso, é necessária uma avaliação dos profissionais que estão lidando com estas doenças. Esta consulta é importante para que o profissional tome ciência do tamanho do procedimento a ser realizado e possa tomar as devidas precauções.

Em caso de doenças cardíacas ou pacientes muito idosos, uma avaliação do cardiologista é fundamental para a segurança do procedimento.

Doenças agudas

Por se tratar de uma cirurgia eletiva, e portanto sem nenhuma urgência, o paciente deve estar em sua melhor condição. Desta forma processos inflamatórios agudos, mesmo gripes, contraindicam o procedimento. Informe sempre a equipe médica sobre qualquer sintoma que aparecer. É melhor passar pelo transtorno de reagendar o procedimento do que correr riscos desnecessários.

Medicações de uso diário

Informe o cirurgião sobre todas as medicações que você esta usando. Existem cuidados específicos para o uso de medicações antes, durante e depois da cirurgia. Estes cuidados podem necessitar de orientações de outros profissionais. Somente utilize medicações orientadas pelo seu médico. Se você usa alguma medicação ou produto natural de forma constante prescrita por outro médico, informe ao médico ortopedista para orientação do seu uso antes da cirurgia. Alguns produtos naturais, assim como medicamentos, podem aumentar o sangramento e prejudicar o procedimento cirúrgico.

Exames subsidiários

Para a segurança do procedimento alguns exames são precisos. Exames de sangue são pedidos de rotina. Já um eletrocardiograma e radiografias de tórax são pedidos em casos de pacientes com idade mais avançada ou comorbidades. Ecocardiogramas somente em casos específicos.

LEIA TAMBÉM
2 - Quando operar4 - Cuidados pós